loader

Lente de Contato Dental

by on 7 de janeiro de 2016 | Posted in posts

O que é Lente de Contato Dental (faceta – laminado de porcelana)?
O laminado é uma restauração que envolve apenas a face vestibular (frontal) dos dentes. Esse tipo de restauração pode ser executada com resina composta (diretamente na boca do cliente), com resina elaborada laboratorialmente ou, ainda, com porcelana, que traz as vantagens estéticas e de estabilidade de cor, também executadas no laboratório, ou seja, fora da boca.

Em que situação é recomendada?
A faceta laminada geralmente é recomendada por motivos estéticos, tais como dentes escurecidos ou excessivamente restaurados na face frontal; além disso, pode corrigir o aspecto anatômico de dentes malformados.

Qual a vantagem desse tratamento?
A vantagem primordial consiste na preservação de estrutura dental sadia. Com essa técnica, desgastam-se menos os dentes.

Substitui a coroa de jaqueta?
Com certeza, nos casos onde é apenas necessário restaurar a face (vestibular) dos dentes, não estando as outras faces comprometidas por cáries ou restaurações, a ponto de justificar o desgaste para a colocação de jaqueta ou coroa metalocerâmica.

É resistente?
Os processos atuais e os materiais de confecção empregados hoje em dia, bem como a evolução dos métodos de colagem, tomaram as facetas laminadas um tratamento bastante confiável.

Destaca-se facilmente?
Não, desde que se providencie boa colagem e boa silanização (processo que possibilita adesão da resina cimentante com a superfície interna da faceta de porcelana).

A cor se mantém?
Como as porcelanas têm boa estabilidade de cor, as facetas confeccionadas com esse material não sofrem alteração.

Precisa de controles e manutenção periódicos?
Como qualquer tipo de restauração, as facetas laminadas exigem reavaliação constante; contudo, a manutenção consiste apenas na higienização das superfícies dentais e, em especial, da junção dente-restauração.

Enquanto é feita, os dentes ficam desprotegidos?
Durante a fase de confecção da faceta laminada no laboratório, o dentista deve colar uma faceta de resina provisória com adesão limitada a uma pequena área, para facilitar a remoção na consulta final.

Qual a durabilidade?
A durabilidade está associada ao sucesso da colagem, tanto na superfície cerâmica quanto no dente, pois a porcelana, uma vez colada, torna-se extremamente resistente.

No Comment
Read More

Aparelho para os Dentes

by on 6 de janeiro de 2016 | Posted in posts

Ortodontia

Ortodontia é o ramo da odontologia especializado no diagnóstico, prevenção e tratamento das irregularidades dentais e faciais.
O termo técnico para estes problemas é “maloclusão“ , que significa uma relação de contato incorreta entre os dentes superiores e inferiores.
A Ortodontia visa a harmonia entre dentes, lábios e ossos maxilares levando a um equilíbrio facial adequado.
O estudo de um problema que o paciente venha a apresentar requer um profissional com conhecimento científico que irá diagnosticar e planejar adequadamente.

Um correto alinhamento dental é importante para obter uma melhora na função, saúde e aparência :

  • Função: O correto alinhamento dentário contribui para uma melhor mastigação considerando o contato adequado entre os dentes superiores e inferiores.
  • Saúde: Quando os dentes encontram-se apinhados ou sobrepostos a higiene oral inadequada provoca o aparecimento de cáries e doença gengival. Portanto, estando os dentes bem alinhados torna-se muito mais fácil o seu cuidado.
  • Aparência: As pessoas sabem que um sorriso atraente apresenta um papel importante para acentuar a auto confiança e auxiliar na sua seleção dentro do meio social

A maloclusão pode ter origem hereditária, ou seja, transmitida dos pais aos filhos. O tamanho dos ossos maxilares e o tamanho dos dentes são típicas influências familiares herdadas.
Outro grupo de problemas são as causas adquiridas geradas pela sucção da chupeta, dos dedos, por problemas respiratórios, cáries dentais, perda de dentes, traumatismo e outros mais.
A interação destes problemas exige um diagnóstico, planejamento e tratamento minucioso, pois o que a primeira vista parece ser um caso simples pode, se mal planejado, tornar-se uma questão de extrema dificuldade de resolução.

O exame precoce de uma criança permite que o ortodontista avalie e detecte algum problema ortodôntico e planeje algum tratamento, se necessário. Caso contrário, ele orientará os pais para retornarem num outro momento para nova reavaliação ou até mesmo para iniciar o tratamento ortodôntico. Este exame pode ser feito a partir dos quatro (4) anos de idade, quando a dentição de leite já está completa.

Se no exame precoce o ortodontista detectou algum problema na criança que exija intervenção, será indicado um tratamento interceptativo. Este tratamento poderá alcançar resultados que não seriam possíveis após o término do crescimento da face.
Além disso, uma intervenção precoce poderá diminuir a severidade de um problema; se for necessário uma segunda fase de tratamento, esta poderá ser facilitada.
Os benefícios deste tipo de tratamento são:

  • Evitar a fratura ou perda de dentes anteriores que estejam muito projetados;
  • Possibilitar a eliminação de hábitos de sucção de dedo ou chupeta, hábitos de interposição de língua e hábitos de postura de lábios
  • Permitir o desenvolvimento normal da fala;
  • Avaliar a existência de problemas respiratórios que possam afetar o crescimento da face;
  • Corrigir mordidas cruzadas que estejam presentes;
  • Melhorar a auto imagem do paciente;
  • Garantir que os dentes se encontrem de maneira adequada durante a mastigação e a deglutição

No passado, o tratamento ortodôntico era associado às crianças. Entretanto, o processo básico que envolve a movimentação dos dentes é o mesmo em qualquer idade e com isto os adultos também podem se beneficiar com o tratamento ortodôntico.
Na primeira visita ao consultório o paciente será examinado clinicamente. Informações importantes são obtidas, tais como, hábitos orais, traumas sobre os dentes, doenças, tratamentos hormonais e uso de medicamentos. Além disso, nesta consulta o ortodontista será capaz de dar uma orientação quanto às opções de tratamento disponíveis, sobre quando o tratamento deverá começar, sobre o tempo de duração do tratamento e o custo aproximado do mesmo. Para complementação das informações obtidas na 1ª consulta, o ortodontista solicitará a documentação ortodôntica, que inclui:  – Modelos de gesso das arcadas dentárias
– Radiografias e fotografias dos dentes e da face
Numa segunda visita do paciente ao consultório, após a realização da documentação ortodôntica, o ortodontista fará a exposição do diagnóstico e plano de tratamento, formulado a partir das informações obtidas na primeira consulta e também dos registros da documentação. Após isto o tratamento poderá ser iniciado. No entanto, se for diagnosticado que o momento apropriado para iniciar o tratamento for mais adiante , o paciente fará visitas periódicas ao ortodontista, a critério deste, até o momento considerado ideal para o início.
O tratamento ortodôntico usualmente envolve um período de 18 a 36 meses. Em alguns casos ele poderá terminar antes e em outros poderá levar mais tempo do que o previsto inicialmente para a finalização. O tempo total de tratamento depende da severidade da maloclusão original, do tipo de tratamento envolvido e da cooperação do paciente.

Dicas Oral B para higienização com Aparelho Ortodôntico

 Inicie com o uso de fio dental Super Floss (Oral-B).

    Use o fio dental de extremidade rígida para limpar as superfícies dos dentes

    Para a escovação, use uma escova dental macia.

     Na escovação posicione a escova num ângulo de 45º, direcionando as pontas das cerdas para o sulco gengival. Comprima e vibre as cerdas suavemente contra as gengivas com pequenos movimentos horizontais por cerca de 10 segundos por conjunto de dentes.

     Realize este procedimento em ambas as arcadas, superior e inferior.

     Onde houver a passagem do fio metálico ortodôntico, além desse procedimento, introduza as cerdas da escova entre o dente e o fio, de modo que as suas pontas fiquem direcionadas para a sueprfície de mastigação. Faça 8 a 10 movimentos de lateralidade por conjunto de 2 dentes.

     Inverta a posição da escova e introduza as cerdas entre o fio e o dente, de modo que suas pontas fiquem direcionadas para a gengiva e execute os mesmos movimentos.

     Para limpar as superfícies de mastigação dos dentes superiores, faça movimentos vibratórios para frente e para trás com força moderada.

    Escove a parte superior da língua.

     Não se esqueça de fazer bochechos com solução dental fluoretada (enxaguatório bucal).

Como saber se preciso de um ortodontista?
Apenas seu dentista ou ortodontista poderá determinar se você poderá se beneficiar de um tratamento ortodôntico. Com base em alguns instrumentos de diagnóstico que incluem um histórico médico e dentário completo, um exame clínico, modelos de gesso de seus dentes, fotografias extra e intra orais,e radiografia especiais ( panorâmica, teleradiografia) o ortodontista ou dentista poderá decidir se a ortodontia é recomendável e desenvolver um plano de tratamento adequado para você. Se você apresenta algum dos problemas abaixo, pode ser um candidato para o tratamento ortodôntico:

  • Sobremordida, algumas vezes chamada de “dentes salientes” – acontece quando os dentes anteriores superiores se posicionam muito à frente da arcada inferior.
  • Mordida cruzada anterior – uma aparência de “bulldog”, quando a arcada inferior está projetada muito à frente ou a arcada superior se posiciona muito atrás.
  • Mordida cruzada – ocorre quando a arcada superior não fica ligeiramente à frente da arcada inferior ao morder normalmente.
  • Mordida aberta – espaço entre as superfícies de mordida dos dentes anteriores e/ou laterais quando os dentes posteriores se juntam.
  • Desvio de linha mediana – ocorre quando o centro da arcada superior não está alinhado com o centro da arcada inferior.
  • Diastema – falhas, ou espaços, entre os dentes como resultado de dentes ausentes ou dentes que não preenchem a boca.
  • Apinhamento – ocorre quando existem dentes demais para se acomodarem na arcada dentária pequena.

 

Tipos de Aparelhos Ortodônticos
Diversos tipos de aparelhos, tanto fixos como móveis, são utilizados para ajudar a movimentar os dentes, retrair os músculos e alterar o crescimento mandibular. Estes aparelhos funcionam colocando uma leve pressão nos dentes e ossos maxilares. A gravidade do seu problema é que irá determinar qual o procedimento ortodôntico mais adequado e mais eficaz. Aparelhos fixos podem ser:

  • Aparelho fixo — este é o tipo mais comum de aparelho,; consiste de bandas, fios e/ou braquetes. As bandas são fixadas em volta de vários dentes ou um só dente, e utilizadas como âncoras para o aparelho, enquanto que os braquetes são presos na parte externa do dente, podendo serem metálicos ou de porcelana. Os fios em forma de arco passam através dos braquetes e são ligados às bandas. Apertando-se o arco, os dentes são tracionados, movendo-se gradualmente em direção à posição correta. Os aparelhos fixos são geralmente apertados a cada mês para se obter os resultados desejados, que podem ocorrer no prazo de alguns meses até alguns anos. Atualmente eles são menores, mais leves e exibem bem menos metal que no passado. Podem apresentar cores vivas para as crianças, bem como estilos mais claros, preferidos por muitos adultos.
  • Aparelho fixo especial — utilizados para controlar o hábito de chupar o dedo ou a língua “presa”, estes aparelhos são fixados aos dentes através de bandas. Por serem muito desconfortáveis durante as refeições, devem ser utilizados apenas como um último recurso.
  • Mantenedor de espaço fixo — se o dente de leite é perdido precocemente, um protetor de espaço é utilizado para manter este espaço aberto até que o dente permanente nasça. Uma banda é cimentada ao dente próximo ao espaço vazio e um fio é estendido até o dente do outro lado do espaço.

Aparelhos móveis incluem:

  • Niveladores — uma alternativa para os aparelhos convencionais para adultos, niveladores em série estão sendo utilizados por um número crescente de ortodontistas para mover os dentes da mesma forma que os aparelhos fixos, mas sem os fios de aço e os braquetes. Os niveladores são virtualmente invisíveis e removíveis para que o usuário possa se alimentar, escovar os dentes e passar o fio dental.
  • Mantenedores de espaço móveis — estes aparelhos têm a mesma função que os mantenedores fixos. São feitos com uma base acrílica que se encaixa sobre a mandíbula e têm braços de plástico ou arame entre determinados dentes que devem ser mantidos separados.
  • Aparelhos reposicionadores de mandíbula — também chamados de talas, estes aparelhos podem ser utilizados no maxilar superior ou mandíbula, e ajudam a “treinar” a mandíbula a fechar em uma posição mais favorável. São utilizados para disfunções da articulação temporomandibular (ATM).
  • Amortecedores de lábios e bochechas — são destinados a manter os lábios e bochechas afastadas dos dentes. Os músculos dos lábios e bochechas podem exercer pressão sobre os dentes e os amortecedores ajudam a aliviar esta pressão.
  • Expansor palatino — um mecanismo utilizado para alargar o arco da mandíbula superior. Consiste em uma placa de plástico que se encaixa sobre o céu da boca. A pressão externa aplicada sobre a placa por meio de parafusos força as juntas dos ossos do palato a se abrirem para os lados, alargando a área palatina.
  • Contentores móveis — utilizados no céu da boca, estes aparelhos de contenção previnem que os dentes voltem à posição anterior. Podem também ser modificados e utilizados para evitar que a criança chupe o dedo.
  • Aparelho extrabucal — com este aparelho, uma faixa é colocada em volta da parte de trás da cabeça, e ligada a um elástico na frente, ou um arco facial. Este aparelho retarda o crescimento da maxila e mantém os dentes posteriores onde estão, enquanto os dentes anteriores são empurrados para trás.

Ortodontia em adultos

Adultos também podem usar aparelhos ortodônticos?
Sim, os pacientes que possuem desajustes na posição dos dentes ou no tamanho dos ossos da face, com conseqüente desarmonia muscular, devem ser submetidos ao tratamento ortodôntico, mesmo quando em idade adulta. O descuido com a oclusão pode resultar em danos às estruturas de suporte dental (gengiva e osso), dores ou ruídos na articulação e até mesmo na perda de dentes. Devemos lembrar que ano a ano cresce a expectativa de vida do brasileiro e, visto que todos esses problemas são agravados com o aumento da idade, devemos corrigí-los o quanto antes, para garantir uma velhice saudável aos nossos pacientes.

O tratamento ortodôntico nos adultos traz os mesmos resultados que nos jovens?
Infelizmente, nos adultos, as correções são muito menos abrangentes que nos jovens, já que nestes contamos com o crescimento dos ossos e a adaptação dos músculos da face. Além disso, nas crianças, os dentes permanentes ainda estão nascendo, e assim podemos direcioná-los mais facilmente aos seus lugares definitivos.
No adulto, a correção estará limitada a melhorar o posicionamento dental, e eventuais alterações de posição dos ossos faciais somente poderão ser realizadas cirurgicamente.

Quais são as principais características do tratamento no adulto?
O aumento da idade acarreta maior dificuldade de reparação dos tecidos. Esse fato é de fácil constatação em atletas: observamos que os mais novos curam-se facilmente de lesões, ao passo que os mais velhos têm recuperação bastante lenta.
Essa distinção do metabolismo nas várias faixas etárias também deve ser observada na movimentação dental, realizando-se, no adulto, um tratamento mais lento e mais cuidadoso. Isso, hoje em dia, é possível graças aos recentes avanços da Ortodontia, que emprega fios compostos por titânio e molibdênio, para produzir movimentos suaves e indolores.

Os pacientes com doenças gengivais também podem ser tratados?
Enquanto a doença periodontal estiver ativa (presença de inflamação), o tratamento ortodôntico é contra-indicado. Após a estabilização do problema, o ortodontista deve proceder a cuidadosa avaliação para mensurar a extensão dos danos provocados e indicar o tipo de aparelho que mais se ajuste ao caso.

Como a ortodontia em adultos pode colaborar nos tratamentos clínicos?
Alguns pacientes apresentam problemas complexos que requerem terapias restauradoras, endodônticas, protéticas e/ou periodontais, em conjunto com a prática ortodôntica. Casos de dentes inclinados ou extruídos devido à perda precoce de seus vizinhos ou antagonistas; dentes inclusos parcial ou totalmente, assim como dentes girados, podem comprometer seriamente o trabalho clínico. Para a solução desses problemas, o ortodontista emprega aparelhos fixos totais (colocados em todo o arco dental) ou parciais (instalados em apenas alguns dentes), para proceder a pequenos movimentos dentais e, com isso, permitir o sucesso do tratamento integrado.

Qual é o tipo de aparelho mais indicado para os adultos, o fixo ou o removível?
Os aparelhos removíveis têm sua maior indicação para os jovens, uma vez que agem principalmente reposicionando os ossos e harmonizando a função muscular. Contudo, nos adultos, é necessário um dispositivo que promova o ajuste preciso da posição dos dentes, e, nesse caso, os aparelhos fixos são os indicados, por serem mais eficientes e seguros na movimentação.

Qual seria a opção mais estética para os aparelhos fixos?
Ha cerca de 20 anos iniciou-se a busca por aparelhos fixos que possuíssem um aspecto mais agradável. No início, foram fabricados os braquetes (peças que se fixam aos dentes) de plástico, que logo caíram em desuso por se deformarem facilmente e sofrerem escurecimento. Depois, a indústria de materiais ortodônticos adotou a cerâmica como principal constituinte dos aparelhos fixos estéticos, já que esse material resiste melhor às forças produzidas pelo fio e é mais resistente às manchas. Hoje, os pacientes adultos podem contar com dispositivos ortodônticos bastante eficientes e quase invisíveis.

Além da estética, existem diferenças entre o aparelho fixo metálico e o cerâmico?
O aparelho de cerâmica tem como principais desvantagens, em relação ao metálico, seu custo mais elevado e maior fragilidade à fratura. Do ponto de vista mecânico, as peças cerâmicas que possuem uma canaleta metálica no centro são as mais indicadas, pois diminuem o atrito do fio com o aparelho, reduzindo a duração do tratamento.

Fonte:
Site colgate
Associação Gaúcha de Ortodontia e Ortopedia facial
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: REVISTA DA APCD V.55 N.1 JAN/FEV 2001
Morelli Ortodontia
Revisão e Adaptação – Dr. Osório Lara e Dr. Leandro Lara

No Comment
Read More

Clareamento

by on 5 de janeiro de 2016 | Posted in posts

Clareamento Dental

 O clareamento dental vem sendo realizado há muito tempo na odontologa, existem relatos de uso de alguns produtos com esse objetivo desde 1884. A facilidade, o baixo custo e os resultados satisfatórios obtidos com a técnica caseira ( moldeira individual ) fizeram com que o clareamento dental se tornasse o primeiro passo para a melhoria estética do sorriso.

É importante antes de iniciar o clareamento de seus dentes, procurar descobrir o motivo do escurecimento aparente, uma vez que, com base nisso serão determinadas a técnica e o agente clareador a serem empregados no seu caso.

Algumas pessoas nascem com dentes mais amarelados que outras. Outras têm dentes que se tornam amarelados com o tempo. A cor natural de seus dentes também pode ser afetada por diversos fatores.

Manchas na superfície (chamadas pelos dentistas de manchas extrínsecas)
e descoloração podem ser causadas por:

  • Tabaco (tanto fumado como mastigado);
  • Ingestão de café, chá, ou vinho tinto;
  • Ingestão de alimentos altamente pigmentados como cerejas e amoras;
  • Acúmulo de depósitos de tártaro resultantes da placa que endureceu.

Manchas internas (chamadas pelos dentistas de manchas intrínsecas)

  • Tratamento com o antibiótico tetraciclina durante o período de formação dos dentes;
  • Aparência amarelada ou acinzentada dos dentes, como parte do processo de envelhecimento;
  • Trauma nos dentes que podem resultar na morte do nervo do dente, conferindo-lhe a cor marrom, cinza ou preta;
  • Ingestão demasiada de flúor durante a formação dos dentes (desde o nascimento até os 16 anos), o que dá ao dente uma aparência manchada.

O clareamento pode ser feito tanto em um consultório dentário ou em casa, utilizando um sistema fornecido pelo seu dentista. Ambos os métodos utilizam um gel branqueador que oxidam a mancha.

  • Clareamento em casa.
    O clareamento em casa é o procedimento mais comum hoje em dia. Seu dentista faz um molde de seus dentes e prepara uma moldeira  individualizada  que você irá preencher com o gel clareador e utilizar durante algumas horas ao dia ou ainda durante a noite.  Esta moldeira cobrirá somente a superfície dental, evitando, assim, que o agente clareador tenha contato direto e contínuo com a gengiva.  Muitos kits de clareamento prescritos por dentistas atualmente contém uma solução de 10 a 16% de peróxido de carbamida. Quando feito sob a supervisão de seu dentista, o clareamento em casa é bastante eficaz. Qualquer lesão e sensibilidade devem ser imediatamente comunicadas ao dentista. Não se recomenda clarear os dentes sem orientação profissional. Seja no consultório seja em casa, sempre deve haver monitoramento do dentista.


( moldeira)

  • Clareamento no consultório
    Este procedimento demora de 30 minutos a uma hora por visita, e talvez você tenha que retornar várias vezes até obter o resultado desejado. A fim de proteger sua boca, uma substância em gel é aplicada em suas gengivas e um protetor de borracha é colocado em volta do colo dos dentes. Um agente oxidante (a solução branqueadora) é então aplicada em seus dentes. Uma luz especial é utilizada para ajudar a ativar o agente clareador.

(Normalmente após o clareamento você provavelmente precisará trocar as restaurações antigas: uma vez que as restaurações não sofrem ação dos clareadores, parecerão mais escuras frente aos dentes clareados, causando desarmonia estética.

A duração do tratamento pode variar dependendo da origem e intensidade  da alteração de cor ou manchamento.

Poderá ocorrer um volta da coloração, porém  nunca como era antes. Após em média 5 anos, pode haver a necessidade de uma manutenção, que é feita em 2 ou 3 noites.

Durante o clareamento você deverá :

1 . Seguir as orientações do dentista.
2. Retirar o dispositivo de clareamento 1 hora antes das refeições e reiniciar 1 hora após.
3. Observar os dentes diariamente no espelho, monitorando o progresso do clareamento.
4. Guardar o dispositivo, para o caso de necessitar de manutenção.

– Não deve fazer:
1. Fumar durante o tratamento.
2. Tomar café, chá, Coca-Cola, alimentos condimentados ou com corantes em excesso.
3. Escovar os dentes logo após retirar o dispositivo.
4. Emprestar o produto para outras pessoas.

No Comment
Read More